Energia rural é tema de reunião entre Copel, produtores e cooperativas na Show Rural

Numa iniciativa do secretário da Agricultura do Estado do Paraná (Seab), Norberto Ortigara, aconteceu, no final da tarde desta terça-feira (07/02), na sede administrativa do Show Rural Coopavel, em Cascavel, Oeste do Paraná, reunião de representantes de cooperativas e produtores com o diretor da Copel Distribuidora, Antônio Sérgio de Souza Guetter.

O evento contou com as presenças do diretor da Ocepar e presidente da C.Vale, Alfredo Lang, do diretor executivo da Frimesa, Elias José Zydek, do diretor-secretário da cooperativa Lar, Urbano Inácio Frey, e representantes dos produtores rurais da região Oeste.

De acordo com o diretor executivo da Frimesa, Elias Zydek, atualmente o Estado não tem capacidade de atender à demanda das cooperativas em relação ao fornecimento de energia elétrica.

“Nós estamos observando que existe um descompasso entre a velocidade de crescimento das cooperativas e a oferta de energia. Então, essa reunião foi importante para termos um trabalho conjunto, onde cada parte apresenta o seu plano de investimentos e faça um cronograma que priorize ações e, assim, não frustrar a realização dos projetos que estamos pensando em executar. Se pegarmos o planejamento somente das cooperativas do Oeste do Paraná para os próximos cinco anos, por exemplo, verificamos que não haverá energia elétrica para atender as suas agroindústrias. Essa é a realidade. Dessa forma, é preciso ajustar esses planos para que nenhuma das partes sofra em função da falta de disponibilidade de energia”, afirmou.

Zydek disse ainda que há meio ano a Frimesa está discutindo com a Copel e o governo do Estado formas de viabilizar o fornecimento de energia elétrica suficiente para manter o funcionamento do frigorífico de suínos que está sendo construído em Assis Chateaubriand, no Oeste do Paraná.

“Naquela região não existe energia disponível de alta tensão. É preciso puxar uma rede desde a cidade de Cafelândia até Assis, que não atenderá só a Frimesa, mas todas as indústrias da cidade e região. Também é necessário ampliar a subestação da Copel e depois estender mais uma rede da cidade de Assis até a unidade frigorífica, que fica a quinze quilômetros. Estamos discutindo quem irá realizar esses investimentos. Em nossa avaliação, a rede pública é atribuição da Copel. Estamos em fase de entendimento e esperamos encontrar uma solução viável para todos”, completou.

O vice-presidente do Sindicato Patronal de Palotina e da Associação de Produtores de Peixes daquele município, Edmilson Zabott, também ficou satisfeito com o encontro com o representante da Copel.

“Era um sonho que nós produtores e entidades estávamos esperando realizar, para podermos expressar os problemas do setor rural, que tem como principal insumo a energia elétrica e que hoje é o grande entrave para um maior crescimento das atividades agropecuárias no Oeste do Paraná”, disse.

“Nossa grande demanda é por rede de distribuição, que precisa melhorar para levar energia para as propriedades rurais. Tanto a Copel, como outros órgãos do governo precisam sair dos seus gabinetes, ir na propriedade rural e conhecer a realidade que lá existe”, destacou.

Fonte: Informe Paraná Cooperativo

Deixe um Comentário