Bovespa fecha em alta com impulso de mineração e siderurgia

O Ibovespa chegou ao fim da semana com alta de 1,80%, só hoje o índice subiu 1,79% e alcançou os 66.125 pontos. O movimento de alta da bolsa foi acentuado por dados positivos da China, que mostraram que a economia asiática mantém a expansão da economia. Essa percepção fez com que o preço do minério de ferro subisse e favorecesse a alta das ações de mineração e siderurgia.

O preço do minério de ferro subiu 3,32% e foi negociado a US$ 86,62 a tonelada, no porto de Qingdao, na China. Em Dailan, os contratos futuros atingiram máxima de seis anos após os dados econômicos da China. As ações das mineradoras registraram alta no mercado internacional.

As exportações da China cresceram fortemente em janeiro, em um possível sinal de recuperação de procura externa de bens da segunda maior economia do mundo. As exportações saltaram 7,9% em janeiro ante o mesmo mês do mês anterior, após uma queda de 6,1% em dezembro, segundo dados do Escritório Geral de Alfândegas divulgados nesta sexta-feira. Já as importações subiram 16,7% em janeiro ante o mesmo mês de 2016. Em dezembro, houve alta de 3,1%.  O aumento foi maior do que a média das previsões dos economistas, de alta de 10%.

No pregão, os papéis ordinários da CSN subiram 8,38%, as ações PNA da Vale tiveram alta de 6,55%, os papéis ordinários da Vale subiram 5,53%, os papéis PNA da Usiminas ganharam 5,71%, os papéis da Gerdau tiveram alta de 3,12% e os papéis da Gerdau Metalúrgica ganharam 3,29%.

O desempenho positivo do mercado brasileiro também foi sustentado pela alta das bolsas americanas. O S&P 500 subia 0,36% aos 2.316 pontos, o Nasdaq tinha alta de 0,32% aos 5.733 pontos e o Dow Jones ganhava 0,48% aos 20.269 pontos. As bolsas americanas sobem depois de comentários feitos pelo presidente americano, Donald Trump, sobre um “fenomenal” corte de impostos nos Estados Unidos continuam a impulsionar o mercado acionário.

As ações do sistema financeiro também fecharam em alta e contribuíram para sustentar a alta do Ibovespa. Os papéis do Banco do Brasil subiram 1,83%, as ações preferenciais do Bradesco subiram 1,50%, as ações ordinárias do Bradesco tiveram alta de 0,35%, os papéis do Itaú ganharam 0,33% e as unit do Santander tiveram valorização de 5,80%.

As ações da CCR subiram 3,97% para R$ 17,28 depois de a empresa ter fixado o preço de R$ 16 por ação na oferta subsequente que a companhia está realizando. O colegiado da empresa aprovou também o correspondente aumento de capital no valor de R$ 4,07 bilhões, por meio da emissão de 254,4 milhões de ações ordinárias, já considerando papéis suplementares.

As ações da Lojas Renner subiram 3,87% depois de a empresa ter registrado lucro de líquido de R$ 299,8 milhões no quarto trimestre do ano passado, o resultado é 19,2% maior do que o contabilizado no mesmo período do ano anterior. A empresa associou o resultado a um controle eficiente das despesas, que permitiram à companhia aumentar as margens de lucro acima do crescimento das vendas.

As ações preferenciais da Petrobras subiram 3,52% e os papéis ordinários ganharam 2,44%. A agência de classificação de risco S&P Global elevou o rating da estatal de ‘B+’ para “BB-“. No mercado internacional, os contratos de petróleo futuro WTI para março fecharam com alta de 1,6% a US$ 53,86 o barril. O petróleo recebeu um forte impulso do relatório mensal da Agência Internacional de Energia (AIE), que apontou que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) cumpriu 92% da meta de corte da produção acordada no ano passado, de 1,2 milhão de barris diários.

A maior baixa do dia ficou com o papel da Suzano, Papel e Celulose, que caiu 2,10%, em um movimento de correção de preços. Ontem, a ação subiu depois de a companhia ter anunciado que reverteu o prejuízo de R$ 925 milhões em 2015 para um lucro de R$ 1,69 bilhão em 2016.

Fonte: Valor

Deixe um Comentário