Feira em São Paulo traz modelos e oportunidades de negócios para empreendedores

A Feira Nacional do Empreendedor, promovida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) na capital paulista, esperar atrair 150 mil visitantes este ano, 12% a mais que no ano passado. Na sexta edição do evento e com o tema Cidade Empreendedora, a feira traz representações de lojas reais, que permitem aos visitantes vivenciar os modelos de negócio na prática.

A gerente de Atendimento do Sebrae-SP, Adriana Rebecchi, disse que os segmentos mais procurados são beleza, alimentação fora do lar e comércio varejista. De acordo com Adriana, é possível começar a empreender com investimento partir de R$ 5 mil.

“A primeira coisa que precisa ter é uma ideia, e a pessoa vai buscar aqui [Feira Nacional do Empreendedor] o modelo de negócio. Tem aqueles com custo inicial mais baixo ou mais alto. Mas a feira é para todos os públicos. Para aquele que quer empreender, ou quem já tem o negócio e quer melhorar”, explicou.

No escritório do Sebrae, é possível obter orientação e consultoria, além da formalização como microempreendedor individual (MEI). O empreendedor já pode sair da feira com um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) para começar a trabalhar.

Thais Maria Tavares, proprietária de uma rede de chocolates premium, começou como microempreendedora há sete anos. Atualmente, tem sete lojas, três na capital paulista e quatro no interior, e o objetivo de expandir ainda mais, atraindo novos licenciados para a sua marca. “O interior de São Paulo é um lugar muito bom para ser explorado, e só tem marcas tradicionais de chocolate. É um público mais elitizado, que busca algo diferente”, disse.

A empresária diz que sempre gostou da área de chocolates finos e buscou se especializar até abrir a primeira loja na Mooca, em São Paulo, com apoio do Sebrae. O passo seguinte foi abrir a própria fábrica e montar maquinário. Para isso, a empreendedora buscou crédito em uma cooperativa, onde os juros são mais baixos que nos bancos.

Segundo Thais Maria, o segredo do empreendedor é trabalho intenso. “Eu e meu sócio cuidamos de tudo, desde a fabricação, produção, embalagem, que tem que ter muito cuidado. Hoje em dia a pessoa não compra só um bom produto, compra também uma bonita embalagem.”

Novas ideias e aperfeiçoamento

A cabeleireira Cíntia Inoyama ainda dá os primeiros passos como empresária. Profissional da área há mais de dez anos, ela pretende montar o próprio salão de beleza em Sorocaba, no interior paulista. “Estou em busca de novas ideias de negócio. Tenho, por enquanto, só projetos, mas nada concreto ainda.”

Já a podóloga Sandra Nogueira tem uma clínica há seis anos na região da Lapa, zona oeste da cidade de São Paulo, e, além de se informar sobre crédito, buscou auxílio do Sebrae durante a feira para consultoria de marketing.

“Como os tempos mudaram um pouco, preciso digitalizar o negócio. Estou fazendo uma consultoria para melhorar o marketing digital. Em saúde, é muito complicado, porque muita coisa a gente não pode expor, publicar.”

A Feira do Empreendedor existe há 20 anos em todo o país. Em São Paulo, começou há seis anos num espaço de 10 mil metros quadrados, que cresceu para 40 mil quadrados atualmente. No início, eram 20 mil visitantes. Em 2016, foram 133 mil. A feira vai até amanhã (21) e a entrada é gratuita.

Fonte: Agência Brasil

Deixe um Comentário