Operadora oficial do Vaticano inclui roteiro brasileiro

A Opera Romana Pellegrinaggi (ORP), maior operadora de turismo religioso do mundo, ligada diretamente ao Vaticano, incluiu em seu catálogo um roteiro de turismo jesuítico que passa por Brasil, Paraguai e Argentina. O anúncio convida os viajantes para desfrutar de fé, cultura e história em um cenário natural único no mundo”, de acordo com informações da Secretaria Nacional de Turismo do Paraguai.

De acordo com o material proposto pela operadora do Vaticano, o itinerário começa em Assunção, capital do Paraguai, passando por pontos como a sede real do governo, museus, igrejas e demais pontos de trabalho de artesão locais. Chegando na Argentina, por meio da cidade de Posadas, o roteiro inclui visita nas ruínas das missões mais importantes no país, incluindo San Ignacio Mini, fundada pelo padre jesuíta San Roque González de Santa Cruz, no início do século XVII. No Brasil, o itinerário abrange as Cataratas do Iguaçu.

O Setor de Promoção Comercial (SECOM) da Embaixada do Brasil em Assunção informou ainda que irá apresentar para a Embaixada do Brasil no Vaticano a possibilidade de inserção da cidade de São Miguel das Missões e de outros destinos localizados no Rio Grande do Sul no catálogo do roteiro jesuítico.

Em janeiro, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, esteve reunido com o ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, para tratar, entre outros assuntos, da divulgação do Caminho das Missões, roteiro integrado entre Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Beltrão e Santos devem ir juntos ao Vaticano para convidar o Papa Francisco a participar do lançamento da rota em 27 de setembro. O encontro ocorreu durante a Fitur, uma das feiras do setor de viagens mais importantes do mundo, em Madri, na Espanha.

Roteiro

O roteiro é baseado no percurso feito pelos padres jesuítas na América do Sul. Todo o trajeto poderá ser percorrido em aproximadamente um mês pelos turistas. Para promover e estruturar todo o roteiro, Brasil e Argentina vão entrar com um projeto no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para captar um financiamento de US$ 100 milhões.

Fonte: Ministério do Turismo
*Com informações da Embratur

Deixe um Comentário